Aproveitar melhor o SOL


Sol sob demanda

É bem conhecido o uso de garrafas PET com água, instaladas no teto ou nas paredes, para iluminar o interior de ambientes sem gastar eletricidade.

Mas Charu Goel e Seongwoo Yoo, da Universidade Tecnológica Nanyang, em Cingapura, queriam algo "mais tecnológico" - e, claro, mais versátil e mais eficiente.

Eles então substituíram a garrafa PET por esferas de vidro ou de acrílico, que funcionam como uma lente para concentrar a luz solar.

Mas aí acabam as similaridades com o sistema de baixo custo: A luz é capturada da esfera e levada para onde será usada por meio de fibras ópticas.

Além de permitir a instalação de tantas esferas quantas sejam necessárias sem mexer na construção, a luz pode ser levada para longas distâncias - os pesquisadores estão focando seu trabalho na iluminação de espaços subterrâneos.

Ruy Barbosa: Ausência da Justiça e texto contextualizado para este momento com as lacunas criadas pelo STF


Em determinado momento em que Ruy Barbosa estava frustrado com o novo regime de governo, em seguida à deposição do imperador Dom Pedro II. 
Foi o contexto da época e como é hodiernamente impressionante a atualidade do texto, o que nos dá dois consolos: 
I - podemos acreditar que a crise passa e, por extensão, dar mais um pouco de crédito aos que atribuem nossas vicissitudes do momento um rearranjo do planeta, com a raspagem do tacho, a faxina geral a fim de preparar o cenário de dias melhores; ou,
II - fazer reformas gerais, necessárias ao Brasil; pois desde 1941 quando o austríaco Stefan Zweig escreveu a obra “Brasil, País do Futuro”, idealizando a formação de uma potência econômica e social em virtude das condições naturais e dos potenciais que vislumbrou ao país. Porém, oito décadas depois, o Brasil não viveu as reformas que seriam necessárias e ainda está diante de enormes desafios para alcançar o nível de desenvolvimento idealizado. Nesse sentido, a crise do coronavírus aumenta os desafios a serem enfrentados para a economia, o desenvolvimento social e a busca de melhores indicadores de bem-estar. Contudo, como já afirmou o Ministro da Economia Paulo Guedes sobre a retomada econômica pós-pandemia “depende apenas de nós’’. É momento, portanto, de focarmos na solução dos problemas. E, para isso, o Brasil precisa traçar prioridades e realizar reformas estruturais.

Estas são as reformas que penso essenciais para modernizar marcos regulatórios e melhorar o ambiente de negócios brasileiro. Ou as abraçamos, ou a profecia de que “o Brasil será o país do futuro” jamais se concretizará. Não há tempo a perder, as principais reformas são: